A gestão em teletrabalho exige uma profunda mudança de mentalidade nos seus líderes. Os sistemas de avaliação devem ser suportados em resultados, e não no comportamento visível. É fundamental estabelecer um ambiente de confiança com cada trabalhador da equipa.

Liderar passa a ser uma tarefa ainda mais complexa.

Se o teletrabalho já era uma ferramenta utilizada por muitas empresas hoje, por imposição de uma pandemia mundial, é cada vez mais a solução encontrada para se manter a actividade. É imperativo salvaguardar a saúde financeira e proteger os trabalhadores que de si dependem.

No entanto, o trabalho à distância traz consigo inúmeros desafios. Não apenas às empresas, que se vêm obrigadas a dotar os seus profissionais de ferramentas que lhes permitam desenvolver a sua actividade, como também aos profissionais responsáveis pela gestão e supervisão destas equipas.

Será que a forma de liderar é igual? Como se motiva um colaborador que agora está à distância? E quem motiva quem lidera?

A partir de hoje, publicaremos algumas recomendações que entendemos serem preciosas numa nova abordagem ao contexto de trabalho. A cada dia, novas recomendações que farão toda a diferença numa liderança à distância.

O Teletrabalho é desafiante em si mesmo e os profissionais devem ter a capacidade de se reinventar.

#recomendações

Recomendação_ 1  – Liderar à distância resulta?

À primeira vista poderá ser algo difícil de conceber mas é possível e hoje, por força das circunstâncias, faz cada vez mais parte do dia de muitos profissionais.

Com todas as ferramentas tecnológicas que temos à disposição, trabalhar à distância é, cada vez mais, uma realidade. Na Connecta temos, à data de hoje, 100% das nossas equipas em teletrabalho, com performances bastante satisfatórias.

Isto mostra que o modelo, não só funciona como é totalmente possível de ser implementado por várias empresas, assim a actividade o permita. Reuniões com debate de ideias e tomada de decisão, mesmo à distância, passaram a ser frequentes. É perfeitamente possível manter a sintonia com os objectivos da equipa e por conseguinte, da empresa.

Isto é possível, não apenas graças a estas ferramentas como, sobretudo, à capacidade de liderança de quem gere.

Não é a proximidade física que dita a capacidade de liderança. Esta é independente da distância. Muitos líderes podem estar na mesma sala que as suas equipas e não exercer poder nenhum sobre elas. Para que isto aconteça, são necessários líderes com carisma.

Ao invés, um líder pode estar longe das suas equipas e exercer elevada influência sobre elas, através da sua capacidade de motivar, atrair e reter.

No entanto, não é uma tarefa fácil. Não só envolve várias pessoas como está directamente relacionada com a forma como tipicamente a empresa lida com o seu activo humano.

Recomendação_ 2 – O desafio de motivar e liderar à distância

Liderar, por si só, já é uma tarefa árdua. À distância pode parecer ainda pior.

A falta de presença física e interacção face to face pode causar alguns constrangimentos.

O principal desafio é a comunicação. Questão pertinente que instiga a desafiar novos modelos e abordagens. Estes deverão passar por uma comunicação transparente e clara, mitigando interpretações dúbias.

É fundamental uma liderança forte, determinada e esclarecida para que não se corram riscos, nomeadamente na entrega de resultados por parte das equipas à distância.

Outro desafio passa pela auto-gestão do tempo, gestão de prioridades e capacidade de resolução de problemas à distância.

Neste contexto, a figura do líder é fulcral. Deve ser capaz, mesmo à distância, de integrar a equipa, esclarecer, ajudar e fazer com que o trabalho progrida.

Para que isto aconteça, é necessário que a equipa se autonomize na realização das suas tarefas e que o líder saiba motivar as suas pessoas.

Recomendação_ 3 – O Teletrabalho exige capacidade de Motivar à distância

O que são equipas virtuais? É o nome dado àquelas que actuam à distância. Cada colaborador, a partir de sua casa, integra uma equipa alargada, com diferentes talentos mas que funciona como um todo.

Aliás este é um dos maiores benefícios do trabalho remoto. O grande leque de potencialidade e talento, faz com que o Teletrabalho não seja só mais uma possibilidade mas uma necessidade imperativa (neste momento) para que as empresas continuem a laborar.

Em Teletrabalho, a empresa precisa de garantir que os seus colaboradores estão na máxima força, independentemente do lugar que escolherem para o fazer, por isso, a motivação é extremamente importante.

Os colaboradores precisam de se sentir motivados e dispostos a gastar toda a sua energia no projecto. À distância, essa dose de motivação, tem de ser incrementada por todas as vias possíveis.

O que é a motivação? Como podemos incentivar os nossos colaboradores?

Bem, antes de mais é necessário esclarecer um aspecto. Motivação e incentivo, apesar de poderem parecer a mesma coisa, são coisas bem diferentes.

Recomendação_ 4 – Incentivo e Motivação: Dois conceitos relacionados mas diferentes

O incentivo é aquilo que a empresa pode oferecer para premiar os seus colaboradores. Um bónus atribuído por reconhecimento, atingimento de objectivos, superação de metas, entre outros.

Já a motivação, é algo que resulta do estímulo, de algo intangível, como se de um impulso se tratasse, para que o colaborador se movimente e execute as suas tarefas com rigor e de forma eficiente.

Sabia que a motivação de uma equipa depende, em grande medida, da motivação do seu líder? Se este estiver desmotivado não há equipa que supere metas.

O líder tem de ser o primeiro, o mais corajoso, aquele que inspira os outros e encabeça o projecto. Mas a questão é… Como é que se mantém esta pessoa motivada para que consiga motivar os restantes? Este é o desafio!

Recomendação_ 5 – Como se motiva um líder à distância

O grau de envolvimento de um líder com o seu projecto é directamente proporcional ao da sua equipa. Se o primeiro estiver comprometido e realizado nas suas funções, é isso que transmite às equipas que consigo trabalham.

Um verdadeiro líder é aquele que dá o exemplo de dedicação e determinação, energia e precisão.

Comportamento gera comportamento e a equipa vai reconhecer-lhe espírito de missão e replicará aquilo que vê e sente diariamente.

A equipa irá reconhecer na figura do líder, um exemplo, uma referência e, por isso, o grau de motivação deste é essencial.

Falamos em dois tipos de motivação: a intrínseca e a extrínseca. A 1ª, relacionada com a capacidade de se auto-motivar. A 2ª, resulta de factores externos à sua pessoas mas que assumem um papel fundamental no que à motivação diz respeito.

Simultaneamente, o compromisso da equipa é o que faz com que o líder se mantenha motivado. Ver os resultados acontecer traz o sentimento de concretização e isso é sinónimo de que o estilo de liderança resulta e se deve manter.

Mas não estamos a falar de um trabalho finito. É uma tarefa em constante actualização e que deve ser alimentada diariamente.

Recomendação_ 6 – Técnicas de Motivação de equipas à distância

A motivação das equipas, à distância ou presencialmente, depende do grau de compromisso que todos sentem com o projecto.

É fundamental que os objectivos e metas a atingir sejam partilhados. Quanto maior for o sentimento de pertença e envolvimento, maior será o sentimento que os liga entre si e ao projecto. Assim nasce o sucesso!

Porém, com a tecnologia ao serviço do trabalho e a possibilidade de se estar sempre ligado, a linha entre a vida profissional e pessoal esbate-se. É necessária muita disciplina e rigor para que estes dois mundos se mantenham segregados.

Enquanto líder, faça check-ups frequentes para garantir que as pessoas não estão a trabalhar excessivamente ou, pelo contrário, se dispersem em actividades fora de âmbito profissional que reduzam a sua eficiência. 

Horas excessivas de trabalho podem levar a um elevado nível de stress e a um possível esgotamento físico e mental. O designado burnout. Fique atento aos sinais de desmotivação e à produtividade de cada elemento. O envolvimento de todos em prol de um bem comum será a melhor forma de atingir o sucesso.

Recomendação_ 7 – Procure pessoas em sintonia com os valores da sua empresa

Se esta é a chave para o sucesso da gestão de qualquer equipa presencial, o mesmo se aplica quando gerida à distância.

É fundamental que os colaboradores conheçam o posicionamento da empresa no mercado, quais os seus objectivos globais e estratégicos e que os assumam como os seus próprios objectivos.

Quanto mais as estratégias forem partilhadas por todos, mais fácil será estabelecer o envolvimento, compromisso e empenho generalizado.

“Vestir a camisola” é e será cada vez mais a chave para o sucesso e brilhantismo.

Recomendação_ 8 – Livre-se de rótulos

A perfeição não existe mas existe algo próximo que só é alcançado se o líder souber, positivamente, retirar o melhor de cada um dos elementos da sua equipa.

Todos somos diferentes. Qualidades, defeitos e formas de estar diferenciadas mas, desde que correctamente liderados, todos se podem revelar mais-valias, contribuindo para um resultado positivo.

Não adianta querer ter “robot” com comportamentos iguais. Um bom líder tem de saber separar e lidar com as diferenças entre colaboradores, retirando daí a melhor performance.

A leitura, do líder, das diferentes personalidades que constituem a sua equipa é o elemento essencial para que esta se revele vencedora.

A capacidade de enaltecer as qualidades de cada um, daí retirando a maior eficiência em prol de um objectivo comum é a chave para o sucesso.

Devem ser criadas condições de autonomia para que todos possam, enquanto elementos singulares, desenvolver o seu trabalho para que da união das partes, possa resultar um bem maior.

Recomendação_ 9 – Definir directrizes de funcionamento

Desde logo, as regras deverão estar bem definidas e devem ser comunicadas à equipa.

Se possível, chamá-la para o mapeamento de tarefas. Trazer os colaboradores para o processo vai aumentar-lhes o grau de compromisso, com o projecto e com a empresa.

Mesmo à distância devem ser criadas rotinas e dinâmicas que os envolvam, permitindo o relacionamento entre si.

A partilha de sugestões e dicas é fundamental. Se cada um se revir no planeamento que é traçado, mais fácil será encontrar um equilíbrio que ajude a identificar a melhor estratégia de concretização do objectivo comum.

Identificação de deveres e obrigações é fundamental.

Recomendação_ 10 – Prazos e tarefas bem definidas

Nada pode ser mais prejudicial para uma equipa do que muitas tarefas para executar em pouco tempo. Além de dispersar a atenção e o foco, acaba por desestabilizar os elementos.

É fundamental criar prioridades.

Se já é um factor essencial, quando todos os elementos estão no mesmo espaço, à distância esta necessidade é imperial. Todas as tarefas têm de estar bem definidas e equitativamente distribuídas pelas pessoas que as vão executar. Se desde logo todos estiverem cientes das suas responsabilidades, melhor será o desempenho.

Recomendação_ 11 – Relatórios Regulares e Periódicos

O facto das equipas estarem à distância, não significa que a empresa não necessite controlar a actividade, através de pontos de situação frequentes.

Com uma gestão à distância, o report de actividade deve ser ainda mais detalhado, com troca de informação sistemática e constante.

Os processos de acompanhamento devem ser claros e transparentes, definidos desde o início, para que todos saibam perfeitamente quais os seus deveres.

Trabalhar à distância não é sinónimo de abandono de responsabilidade. Pelo contrário, o acompanhamento tem de ser constante e a comunicação fluída entre líder e colaborador.

Estar ciente do que foi feito e do que está por fazer, é essencial para o processo de crescimento.

A realização de videoconferência, sempre que possível, é útil para que todos se mantenham em sintonia.

Recomendação_ 12 – Ferramentas de gestão de projectos

Uma equipa em teletrabalho utiliza 100% ferramentas tecnológicas no seu dia-a-dia. Utilizar as que estimulem a colaboração de todos é uma forma de manter a equipa unida e focada.

Várias são as soluções online que permitem a criação de projectos e respectivo acompanhamento remoto. Além de garantir o foco de todos, permite o acompanhamento, in real time, da evolução do trabalho.

Conclusão:

Gerir uma equipa remotamente não é fácil mas com a colaboração e empenho de todos e com a indispensável ajuda de algumas ferramentas tecnológicas tudo se torna possível. Bom trabalho! 

Desejamos que as nossas #recomendações possam ter sido úteis a todos! Boas leituras. #staysafe

Leave a comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *